Corrente de comércio atingiu US$ 7,813 bilhões na terceira semana de outubro

Corrente de comércio atingiu US$ 7,813 bilhões na terceira semana de outubro
No mês o resultado é positivo em US$ 507 milhões, apesar do déficit de US$ 218 milhões no período. No ano, o saldo é de US$ 34,125 bilhões.
Fonte: Ministério da Economia, 21/10/2019 .

“A balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 218 milhões e corrente de comércio de US$ 7,813 bilhões, na terceira semana de outubro de 2019, como resultado de exportações no valor de US$ 3,798 bilhões e importações de US$ 4,015 bilhões. Segundo dados divulgados nesta segunda-feira (21/10) pela Secretaria de Comércio Exterior (Secex) do Ministério da Economia, no mês as exportações somam US$ 11,304 bilhões e as importações, US$ 10,797 bilhões, com saldo positivo de US$ 507 milhões e corrente de comércio de US$ 22,101 bilhões.

Já no ano, as exportações totalizam US$ 178,510 bilhões e as importações, US$ 144,385 bilhões, com saldo positivo de US$ 34,125 bilhões e corrente de comércio de US$ 322,895 bilhões.

Divulgação.

Análise da semana

A média das exportações da terceira semana chegou a US$ 759,5 milhões, 8,9% abaixo da média de US$ 834,1 milhões até a segunda semana. A redução se deve à queda nas exportações das três categorias de produtos: semimanufaturados (-24,3%), de US$ 110,7 milhões para US$ 83,8 milhões, em razão de celulose, ouro em formas semimanufaturadas, ferro-ligas, alumínio em bruto, ferro fundido; manufaturados (-15,1%), de US$ 282,1 milhões para US$ 239,4 milhões, devido, principalmente, a aviões, automóveis de passageiros, tubos flexíveis de ferro/aço, etanol, gasolina; e básicos (-1,1%), de US$ 441,3 milhões para US$ 436,3 milhões, por conta de milho em grãos, minério de ferro, fumo em folhas, carnes de frango, bovina e suína, algodão em bruto.

Do lado das importações, houve crescimento de 6,6%, sobre igual período comparativo – média da terceira semana, US$ 803,1 milhões, sobre a média até a segunda semana, US$ 753,5 milhões. A alta é explicada, principalmente, pelo aumento nos gastos com equipamentos mecânicos, equipamentos eletroeletrônicos, plásticos e obras, farmacêuticos, cobre e suas obras.

Análise do mês

Nas exportações, comparadas as médias até a terceira semana de outubro de 2019 (US$ 807,4 milhões) com a de outubro de 2018 (US$ 995,3 milhões), houve queda de 18,9%, em razão da diminuição nas vendas de produtos manufaturados (-22,6%), de US$ 344,8 milhões para US$ 266,9 milhões; semimanufaturados (-22,5%), de US$ 130,3 milhões para US$ 101,1 milhões; e básicos (-14,6%), de US$ 514,5 milhões para US$ 439,5 milhões.

Em relação a setembro de 2019, houve retração de 9,5%, devido à queda nas vendas de produtos manufaturados (-22,3%), de US$ 343,3 milhões para US$ 266,9 milhões; e básicos (-2,3%), de US$ 449,8 milhões para US$ 439,5 milhões. Por outro lado, cresceram as vendas de produtos semimanufaturados (+1,9%), de US$ 99,2 milhões para US$ 101,1 milhões.

Nas importações, a média diária até a terceira semana de outubro de 2019, de US$ 771,2 milhões, ficou 5,3% acima da média de outubro do ano passado (US$ 732,1 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com equipamentos mecânicos (+36,8%), aeronaves e peças (+34,0%), equipamentos eletroeletrônicos (+15,1%), siderúrgicos (+15,1%) e plásticos e obras (+12,5%).

Em relação a setembro de 2019, houve queda de 1,8%, pelas diminuições de aquisições de produtos farmacêuticos (-24,3%), adubos e fertilizantes (-13,7%), filamentos e fibras sintéticas/artificiais (-8,0%), químicos orgânicos e inorgânicos (-6,8%), combustíveis e lubrificantes (-6,6%).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *